As apostas de 2019 que transformarão a relação entre cliente e mercado

Para 2019 muitas mudanças são esperadas, principalmente pelo crescente uso e adaptação de novas tendências tecnológicas no mercado. O comportamento do consumidor já mudou e as empresas e órgãos públicos estão correndo atrás para se adaptarem a essa nova realidade. Em destaque, as instituições financeiras estão investindo pesado nas tecnologias emergentes, segundo pesquisa da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), só em 2017 os bancos brasileiros investiram R$ 19,5 bilhões em modernização tecnológica.

De maneira geral, todas as organizações e áreas do mercado são impactadas por alterações nesse setor, não só por serem suas “clientes” e possuírem sistemas financeiros, mas também pelo movimento de transformação de comportamento e consumo que isso gera. Para o usuário e para o mercado, mudanças como essas são altamente significativas pois transformam a relação da TI com os seus usuários (sejam eles clientes ou empresas) e realizam grandes modificações na forma de utilizar os serviços e disponibilizar recursos e informações.

Um exemplo disso, é o investimento em Inteligência Artificial que foi a aposta de 80% das instituições pesquisadas do setor, e a Computação Cognitiva que vem de encontro aos recentes movimentos do mercado. A biometria também é outro recurso tecnológico que vem sendo amplamente utilizado, principalmente para evitar fraudes, aumentar a segurança do usuário e mapear padrões de uso dos clientes. Já a IoT, que recebe forte destaque desde 2016 no campo da tecnologia, também ganha espaço nesse universo, já que auxilia na personalização de serviços e na geração de novos modelos de negócio.

Diante disso, vale entender um pouco mais sobre as tendências e tecnologias que os bancos estão apostando e como elas irão modificar a relação entre usuários, empresas e instituições financeiras.  A ITF 365, portal da Revista IT Forum, listou as 10 tecnologias que estarão na mira dos bancos em 2019.

Confira o que será tendência neste ano:

  1. Analytics e big data

A análise de volumes gigantes de dados gerados por clientes, por operações e até mesmo por processos internos tornou-se uma necessidade para os bancos e vai avançar ainda mais em 2019. O uso combinado de analytics e big data servirá de base para outras tecnologias que devem avançar no ano que vem, melhorando produtos e serviços e abrindo caminho para novidades. O potencial do big data e das ferramentas de analytics no setor bancário permite que as instituições financeiras reduzam seus custos e exposição a riscos, e conheçam melhor seus clientes, com serviços digitais mais eficientes.

  1. Open Banking

Se os dados são uma das peças-chave para inovações que vão surgir em breve, a colaboração é outro caminho em que os bancos deverão apostar em 2019. O open banking vai permitir que diferentes atores do mercado desenvolvam soluções a partir de interfaces de programação para aplicações desenvolvidas pelas instituições financeiras, as APIs.

  1. Chatbots

Os chatbots – atendentes virtuais, com capacidade de interação graças a inteligência artificial e computação cognitiva – vão continuar a despontar no sistema financeiro, assumindo uma gama maior de tarefas, e vão melhorar a experiência do usuário, que é a base de tudo. Essas ferramentas vão se aproveitar cada vez mais das informações captadas e processadas por big data e analytics, por exemplo, para se tornar mais eficientes.

  1. RPA

Os robôs não vão participar apenas de conversas com os clientes. Uma outra tendência prevista para 2019 é sua atuação nos bastidores das instituições, por meio da Automação Robótica de Processos (RPA, na sigla em inglês). Com a ajuda da inteligência artificial, os robôs serão usados para aumentar a eficiência operacional e automatizar atividades internas dos bancos.

  1. Biometria

O uso da biometria pelos bancos vai continuar intenso em 2019. Além do reconhecimento de impressão digital, que já se tornou popular, o reconhecimento facial e também da voz estão entre as alternativas que serão adotadas em uma escala crescente.

  1. Segurança cibernética

A tecnologia evolui para proporcionar melhores produtos e serviços, mas, ao mesmo tempo, crescem as ameaças virtuais à segurança de instituições e clientes. A segurança cibernética consiste em usar ferramentas como analytics e big data para evitar fraudes.

  1. Computação forense

Ferramentas de segurança podem ir além de garantir a integridade das transações. A computação forense não é mais algo restrito a investigações policiais e pode ser aplicada para analisar o comportamento dos próprios funcionários nos bancos e, com isso, preservar o sigilo das informações.

  1. Blockchain

Experimentos em blockchain – tecnologia que permite registros e certificações confiáveis de forma descentralizada – vão continuar a ocorrer nos bancos, e o salto prometido para aplicações em larga escala deve vir em 2019. Até agora, a indústria tem feito protótipos e provas de conceito, mas, em 2019, o blockchain vai começar a ser aplicado a casos reais.

  1. Cloud

No passado, a adoção de computação em nuvem – ou cloud computing – pelos bancos esbarrou no receio quanto à segurança das informações dos clientes e em questões de regulação. A resolução 4.658 do Banco Central, que dispõe sobre os requisitos para a contratação de serviços de processamento e armazenamento de dados e de computação em nuvem, divulgada em maio do ano passado, uniformiza a forma como o banco faz isso de forma segura. A tendência é que as instituições acelerem a adoção.

  1. Internet das coisas

Em 2019, serão impulsionados estudos sobre como a internet das coisas (IoT, na sigla em inglês) pode trazer novas oportunidades de produtos e serviços financeiros. A IoT permite a oferta de produtos e serviços mais personalizados, por meio de aparelhos eletrônicos domésticos conectados à Internet.

FONTE: ITF 365

No Comments

Post A Comment